Música Celtica

Exercícios Terapêuticos

Exercícios Terapêuticos
O universo está em constante movimento. O movimento significa vida. O movimento de uma espiral de energia vitaliza a célula única que marca o início de nosso tipo de vida humana. À medida que esse tipo de vida evolui, nós nos constituímos em um ser que constantemente troca energia com o cosmo. À medida que esta energia passa através de nós, ela nos alimenta, nos nutri e cria o movimento interno e externo de nossas vidas. Na expressão natural deste intercâmbio encontramos nossa saúde. O intercâmbio de energia é aumentado pelo movimento, e o movimento perfeito do corpo é uma extensão do interior para o exterior enquanto recebe estímulos que movem do exterior para o interior. (Greg Broòshy)

Translate

24.9.15

Benefícios do espinafre para a saúde e para emagrecer

Espinafre fonte de vida e saude

A famosa erva que faz o personagem Popeye ficar forte nos desenhos animados, realmente é poderosa! De nome científico (Spinacia oleracea), é originária da Pérsia e do Extremo Oriente. Suas folhas possuem concentração de clorofila, proteínas, ferro, cálcio, magnésio, potássio, fósforo, sódio, iodo e enxofre. Além de apresentar um alto poder de cura, a hortaliça rica em clorofila, ajuda a controlar, combater e prevenir inúmeras imunodeficiências do organismo, favorece a perda de peso, trata problemas de anemia e ainda combate o câncer.

O ferro encontrado na planta, ajuda os glóbulos vermelhos a oxigenar o sangue, por isso se recomenda a crianças, adolescentes, convalescentes e pessoas com trabalho intelectual. A melhor forma de consumi-lo é fresco, e nunca requentado, pois contém nitrato, que pode causar intoxicação. O efeito curativo do espinafre e do seu sumo serve para casos de anemia, eczemas cutâneos, obstipação, insuficiência do fígado e do pâncreas.


A planta também pode ser considerada como um alimento preventivo para nossa saúde. Na prevenção da depressão por exemplo, sendo uma hortaliça rica em ácido fólico e vitamina B, possui efeito antidepressivo.  O espinafre Reduz o colesterol.

É aconselhado em todos os estados de anemia, problemas renais, hemorróidas e debilidade. É um antídoto contra o cancro do pulmão devido à sua alta concentração de carotenoides (36 miligramas por cada cem gramas), e contém grandes quantidades de clorofila. Cientistas japoneses descobriram em 1969 que o espinafre reduz o colesterol do sangue. Contém: grande quantidade de ferro e vitamina A, vitamina B, e C. Estimula a secreção das glândulas linfáticas.

Das suas folhas podemos extrair o suco de clorofila, que pode ser usado como suco normal no dia a dia, para fazer remédios, chás e xarope. Pra quem deseja emagrecer mantendo em alta a imunidade, o espinafre é uma escolha justa, é antioxidante, rico de fibras, pobre de calorias, reforça o organismo por ser rico em ferro, melhora o funcionamento da digestão e do trato intestinal e é de fato um alimento muito nutritivo.


Fonte de Pesquisa e apoio

Medicina Alternativa de A e Z, Editora Natureza, Carlos do Nascimento Spethmnn, 2004

16.9.15

BENEFÍCIOS DE SAÚDE DO IODO

Benefícios de Saúde do Iodo
Por Cristiana Madeira

O iodo é um elemento que é essencial para o crescimento e desenvolvimento normais. Cerca de 60% ​​do iodo no organismo é armazenado na glândula tireóide. Os benefícios de saúde de iodo desempenham um papel muito importante no funcionamento normal da glândula tireóide, que controla a taxa metabólica básica do corpo.
O Iodo controla o funcionamento da glândula tireóide no corpo humano, que por sua vez, tem uma influência significativa sobre os processos metabólicos no corpo. Os benefícios de saúde do iodo ajuda na utilização óptima de calorias evitando assim o seu armazenamento como gorduras em excesso. Outros benefícios do iodo são a remoção de toxinas do corpo e da assistência para o corpo na utilização de cálcio e silício.

Sintomas de deficiência
Deficiência de iodo pode ter efeitos graves. Os sintomas de deficiência de iodo incluem frustração, depressão, retardo mental, níveis de perceptividade pobres, bócio, aumento de peso anormais, diminuição da fertilidade, a pele grossa, prisão de ventre e fadiga.
Em casos graves, o retardo mental pode ser associado a doenças como o cretinismo, caracterizado por graves malformações físicas. Segundo relatórios, a deficiência de iodo é uma das principais causas de retardo mental no mundo.

Fontes importantes
O iodo está presente em grande quantidade em ambas as plantas e animais marinhos, incluindo crustáceos, peixes e algas que absorvem o iodo da água do mar. Certifique-se de incluir quantidades abundantes de conservas de sardinha, atum enlatado, lagosta, ostras, mariscos, bacalhau, linguado, poleiro arenque, salmão, robalo e camarão.  As algas também contêm iodo. O Alho, feijão, acelga, abobrinha, sementes de gergelim, soja, nabo, eespinafre são ricos em iodo. Sal iodado é outra importante fonte de iodo.

Benefícios do Iodo
O iodo é necessário para garantir o bom desenvolvimento e metabolismo nos seres humanos. Alguns de seus benefícios incluem:
Taxas metabólicas: iodo influencia o funcionamento da glândula tireóide, auxiliando na produção de hormônios, que são diretamente responsáveis ​​por controlar a taxa metabólica básica.
Nível de energia: o Iodo também desempenha um papel importante em manter excelentes níveis de energia do corpo, garantindo uma ótima utilização de calorias, sem permitir que sejam depositadas como gorduras em excesso.
Unhas saudáveis, cabelos e dentes: Os benefícios de saúde de iodo incluem a formação da pele saudável e brilhante, dentes e cabelo. O iodo é um elemento importante no cuidado do cabelo, a falta deste mineral pode resultar em perda de cabelo. Além disso, ele também ajuda no crescimento do cabelo.
Sistema reprodutivo: O iodo ajuda no crescimento normal e na maturidade dos órgãos reprodutores. Uma quantidade suficiente de iodo em mulheres grávidas é essencial para evitar natimortos ou condições cognitivas como cretinismo dos bebês. Ele também garante a circulação adequada e ajuda no desenvolvimento da fala e da audição em bebês.
Doença fibrocística: o iodo pode reduzir significativamente as condições como a turgescência fibrose e a sensibilidade mamária  O Iodo age como um alívio para doenças fibrocísticas e é amplamente utilizado até mesmo em terapias.
Iodo na morte celular programada: Iodo garante a apoptose ou morte celular programada, que é essencial na formação de novos órgãos, bem como na remoção de células malignas e células doentes.
Propriedades anti-câncer: Provavelmente, os benefícios de saúde mais importantes de iodo além da influência tireoidiana são as suas propriedades anti-câncer. Estudos têm demonstrado que as células cancerosas são reduzidas quando administrado iodo.
Iodo remove substâncias químicas tóxicas: iodo pode eliminar as toxinas químicas no corpo como chumbo, flúor, mercúrio, etc, além de toxinas biológicas e pode fortalecer o sistema imunológico. O iodo também evita a proliferação de bactérias nocivas no estômago.
Distúrbios da tireóide e Goitre: A deficiência de iodo é a causa básica da Goitre. Você pode consumir ovos, sal, alimentos do mar, produtos lácteos para facilitar a redução da deficiência de iodo, que funciona como uma cura para o aumento da glândula tireóide.

O consumo excessivo de iodo de mais de 2.000 mg pode ser perigoso, especialmente em pessoas que sofrem de doenças renais ou tuberculose. Quando tomado em excesso pode resultar em câncer de tireóide papilar. As Mulheres grávidas e mães em amamentação devem ser cautelosas para não tomar mais iodo do que a dose prescrita.

2.9.15

NIMESULIDA



O medicamento "nimesulida" é altamente perigoso e potencialmente tóxico ao fígado
Você sabia que o medicamento nimesulida pode ser altamente tóxico para fígado e é proibido em vários países?

[Imagem: 132.jpeg]


A nimesulida é um medicamento anti-inflamatório não-esteroide (NSAID), autorizado em muitos países para o tratamento de dores agudas, tratamento sintomático de osteoartrite dolorosa e para a dismenorreia primária.
Porém, o uso da nimesulida pode representar riscos tóxicos à saúde, uma preocupação constante para os órgãos mundiais de saúde.

Não à toa, o medicamento é proibido desde sempre no Reino Unido e na Alemanha, e já foi retirado de circulação do Canadá, Estados Unidos, Japão, Espanha, Finlândia, Irlanda, Bélgica, Dinamarca, Holanda e Suécia. A Comissão Europeia se preocupa muito com o efeito devastador do medicamento, pedindo que as pessoas evitem qualquer possibilidade de utilização crônica e frequente da nimesulida.

O grande alvo do fármaco, é o fígado dos pacientes. Em maio de 2007, o Irish Medicines Boards (IMB), regulador irlandês, recebeu novas informações da Unidade Nacional de Transplante de Fígado (NLTU), sobre seis casos de insuficiência hepática que necessitaram de transplante após o tratamento oral com nimesulida, duas das quais resultaram em morte.

O que pode ocorrer com o paciente, é insuficiência hepática fulminante (FHF) de origem desconhecida. Como o risco de hepatotoxicidade grave pode acontecer a qualquer momento, a qualquer paciente, muitos países resolveram proibir de vez o medicamento.

O IMB, por exemplo, suspendeu a comercialização e venda da nimesulida para uso oral na Irlanda. Os profissionais de saúde e os pacientes foram informados desta ação regulamentar urgente, além de um comunicado de imprensa com documentos comprovados, bem como contato direto com uma gama de organizações profissionais.

Em conformidade com as suas obrigações decorrentes da presente ação regulamentar urgente, o IMB informou as partes interessadas a nível nacional e internacional e deu início a uma nova revisão da União Europeia sobre a segurança dos produtos contendo nimesulida. O resultado desta avaliação será comunicado aos profissionais de saúde, quando disponíveis.

“O dano hepático é um raro, porém grave, efeito secundário da nimesulida. Temos dados da Unidade Nacional de Transplantes de fígado do St. Vincent Univerity Hospital, que falam de seis pacientes que precisaram de transplante após um tratamento com a nimesulida. Desde que o produto deu entrada na Irlanda, em 1995, tivemos um total de 53 casos e três casos mortais de insuficiência hepática. Além disso, a Nimesulida apresenta toxicidade renal”,relatou o IMB.

No Brasil, diversos laboratórios produzem o medicamento, sem nenhum tipo de restrição. “Têm sido relatados, em vários países, casos clínicos em que a hepatotoxicidade associada ao uso de nimesulida ocorreu de forma severa e até fatal, o que fez com que fosse retirada do mercado em alguns países europeus. Os mecanismos envolvidos nessas reações relacionam alterações nos padrões funcionais das mitocôndrias, levando à morte celular hepática. Também foram estabelecidos cofatores tais como pré-disposição genética, doença hepática pré-existente e associação com outros fármacos hepatotóxicos. Embora amplamente comercializada, não foram encontrados relatos de casos documentados no Brasil”, relatou Márcio Antônio Rodrigues Araújo, em um estudo denominado “Hepatotoxicidade associada à nimesulida: uma revisão da literatura” para a Revista Brasileira de Farmácia (RBF).

Ainda de acordo com os dados da pesquisa de Márcio Antônio, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já registrou cerca de 320 casos de desordens hepato-biliares por conta da nimesulida e principal fator de risco para a hepatotoxicidade é a idade do paciente.

“O aumento da proporção de pessoas em idade avançada que representam um grupo de risco elevado para lesões no fígado está relacionada ao uso frequente de AINES (anti-inflamatórios não-esteroides), utilizados principalmente para doenças musculoesqueléticas da velhice. Além disso, tem sido referenciado como maior prevalência em mulheres, além de doença hepática grave pré-existente e interações medicamentosas com outros fármacos de uso frequente. Falhas em transplantes de fígado também têm sido relatadas e associadas à administração prévia de AINES, destacando-se entre eles a nimesulida”, complementa o estudo.

A conclusão do estudo da RBF, é que todo e qualquer caso de toxicidade hepática associada ao uso de nimesulida (ou a qualquer outro medicamento) precisa ser documentada, divulgada e comunicado ao órgão competente, no caso, a Vigilância Sanitária, para que possam estudar mais a fundo os riscos do medicamento no Brasil.

“Nesse sentido, não foram encontrados relatos de casos documentados no Brasil durante a realização do estudo, o que não significa que eles não tenham ocorrido.

Da mesma forma que, devido ao amplo uso da nimesulida também em outros países e do fato do diagnóstico da toxicidade hepática ser de difícil estabelecimento, os números associados ao risco e segurança podem ser maiores do que os já notificados. Assim, os profissionais da saúde devem estar alertas sobre a observação dos possíveis danos hepáticos associados ao uso dos AINES, em especial à nimesulida, uma vez que esse fármaco apresenta grande comercialização no país e, de forma preocupante, sem a exigência de receita para sua aquisição e consumo, com consequente falta de acompanhamento médico”, finalizou.

Fonte:
http://www.jornalciencia.com/saude/mente...ios-paises

Sua Fonte Natural de Informação
[Imagem: bannerForum.jpg]