Música Celtica

Exercícios Terapêuticos

Exercícios Terapêuticos
O universo está em constante movimento. O movimento significa vida. O movimento de uma espiral de energia vitaliza a célula única que marca o início de nosso tipo de vida humana. À medida que esse tipo de vida evolui, nós nos constituímos em um ser que constantemente troca energia com o cosmo. À medida que esta energia passa através de nós, ela nos alimenta, nos nutri e cria o movimento interno e externo de nossas vidas. Na expressão natural deste intercâmbio encontramos nossa saúde. O intercâmbio de energia é aumentado pelo movimento, e o movimento perfeito do corpo é uma extensão do interior para o exterior enquanto recebe estímulos que movem do exterior para o interior. (Greg Broòshy)

Translate

29.9.13

MEDICINA ORTOMOLECULAR


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A Medicina ortomolecular (pronuncia-se ôrto ou órto) é um princípio das atividades da chamada Medicina Alternativa no qual se evidência que as doenças são resultado de desequilíbrios químicos. Assim, os tratamentos ortomoleculares buscam a restauração dos níveis de vitaminas e minerais considerados ideais no organismo.

Medicina Ortomolecular é o ramo da ciência cujo objetivo primordial é restabelecer o equilíbrio químico do organismo. Este acerto (orto=certo) das moléculas se dá através do uso de substâncias e elementos naturais, sejam vitaminas, minerais, e/ou aminoácidos. Estes elementos,além de proporcionarem um reequilíbrio bioquímico, combatem os radicais livres.

Mas por que o organismo se desequilibra?

Para entendermos como isto se dá, podemos partir de uma analogia. O organismo é uma máquina que está permanentemente se produzindo. Durante este processo de produção podem surgir falhas, seja na chegada de matéria-prima (vitaminas, minerais, etc.), seja na própria integração de todo e qualquer sistema que compõe a máquina.Estes sistemas devem trabalhar de forma harmoniosa, como uma engrenagem. Estas engrenagens são os sistemas : NEUROENDÓCRINO, PSÍQUICO E IMUNE. Qualquer falha em algum ponto ou mecanismo desta máquina (ser humano) compromete toda a produção (vida), surgindo os defeitos (doença).

Por exemplo: uma pessoa deprimida tem mais chances de apresentar infecções recorrentes, já que uma falha no sistema psíquico leva conseqüentemente a alterações no sistema imune. Outro fator importante na gênese de várias enfermidades, como artrite e câncer, é a formação de radicais livres. Podemos entendê-los da seguinte forma: o organismo utiliza cerca de 98 a 99% do oxigênio que consumimos para produzir energia. A pequena parcela que sobra (1 a 2%) não participa do processo, formando as espécies tóxicas reativas do oxigênio - os radicais livres. Estes correspondem a átomos ou grupos de átomos com um elétron não emparelhado em sua órbita mais externa, sendo, portanto, muito reativos pois para recuperar o equilíbrio precisam 'doar' o elétron desemparelhado. Desta forma, combinam avidamente com as várias estruturas celulares do corpo, o que resulta em destruição e, conseqüentemente, em enfermidades. Entre estas podem ser citadas o câncer, osteoartrite, lúpus, enfisema e doenças cardio vasculares.

O Homem está sendo permanentemente submetido a condições que levam ao excesso de radicais livres como, por exemplo, o estresse, o fumo, a poluição, exposições prolongadas ao sol, entre outras. A Medicina Ortomolecular, através do uso de vitaminas e minerais, objetiva, entre outros, neutralizar os efeitos tóxicos destas espécies reativas, proporcionando uma melhor qualidade de vida.

A Medicina Ortomolecular também trata das deficiências de uma série de nutrientes. Sabe-se, por exemplo, que um fumante gasta 25 mg de vitamina C a cada cigarro que consome. Caso esta pessoa fume um maço por dia, estará perdendo 500 mg desta vitamina diariamente. E, hoje em dia, sabemos os inúmeros benefícios que esta vitamina proporciona, seja no combate a radicais livres, na síntese de hormônios, ou mesmo estimulando o sistema imunológico. Todavia, apesar da medicina ortomolecular ter um sentido curativo, ela também é eminentemente preventiva. Assim, p. ex.,é possível tratar uma pessoa com estresse antes que ele evolua para uma hipertensão arterial. Da mesma forma, é possível tratar obesidade antes que ela ocasione diabetes. O mais importante é que com a Medicina Ortomolecular o paciente volta a ser encarado como um todo, um conjunto que deve funcionar em harmonia.

Com esta visão global, qualquer tratamento torna-se muito mais vantajoso, pois encontra a origem dos problemas, a verdadeira raiz a partir da qual todo o processo patológico se desenvolve. Ou, ainda, voltando à analogia, se encontrarmos o defeito exatamente onde ele origina-se na máquina, é muito mais fácil consertá-la antes que o problema atinja toda a produção, que nada mais é do que a própria vida.

É fundamental saber que a Medicina Ortomolecular através dos seus componentes pode ser adquirida em qualquer farmácia tradicional e sem prescrição médica, mas o ideal é que se consulte um médico para não causar hipervitaminose no organismo.


13.9.13

O que são as Doenças Cardiovasculares?


A palavra cardiovascular se refere ao conjunto composto pelo coração, pelos vasos sanguíneos e pelos vasos linfáticos. Assim, as doenças cardiovasculares são aquelas que atingem uma ou mais partes desse conjunto. As mais conhecidas são o infarto do coração e o acidente vascular cerebral, também chamado de derrame. De acordo com o cardiologista Bruno Ganen:


O infarto do miocárdio pode evoluir para a morte súbita ou insuficiência cardíaca com grande comprometimento da qualidade de vida. O acidente vascular cerebral pode resultar em déficit motor e sensitivo variados que podem fazer com que o indivíduo perca sua capacidade de locomoção e torne-se dependente para realização dos seus afazeres do dia a dia (Fonte: Revista Cuidando  da Saúde).
Por isso, é fundamental que conheçamos melhor sobre essas doenças e saibamos como preveni-las.
Aprenda a cuidar do seu coração

 Fatores de Risco

Doenças do Coração
A idade do indivíduo – 55 anos para os homens e 65 anos para as mulheres – e o histórico familiar são fatores de risco, que elevam as chances de desenvolvimento dos problemas cardiovasculares. Outros fatores, relacionados com o estilo de vida, também são responsáveis pela ocorrência desses problemas. É o caso do tabagismo, do sedentarismo, da obesidade, do diabetes, da hipertensão e do colesterol alto. Essas causas podem ser alteradas ao longo da vida, desde que a pessoa queira promover uma mudança em seus hábitos. Por isso, são bastante ressaltadas por médicos e especialistas

Tratamento e Prevenção

Quanto maior for o número de fatores de risco, maiores são as chances de obstrução das artérias coronárias e cerebrais. Dessa forma, quem tem se enquadra nos grupos acima relacionados deve procurar acompanhamento médico regular, a fim de identificar sintomas precocemente e evitar o derrame e o infarto.
Como dissemos, também é essencial fazer uma mudança de hábitos. A alimentação saudável, a prática regular de atividade física e o abandono do fumo são essenciais para quem quer prevenir essas doenças e ter uma vida saudável. Comece hoje mesmo a repensar tudo aquilo que você faz e prejudica sua saúde.



Fonte: Receita Natural
PESQUISAR

4.9.13

COLESTEROL

O colesterol tem fama de vilão, mas na verdade é fundamental para a nossa saúde. A propósito, o próprio organismo produz 70% do nosso colesterol total. Os outros 30% são obtidos por meio da nossa alimentação. Se o indivíduo ingere mais colesterol que o necessário, o corpo humano passar a produzir menos gordura. O problema é que chega uma hora que esse equilíbrio não consegue ser mantido. Quando isso acontece, os níveis de colesterol ficam desregulados.
Colesterol Alto
Colesterol Alto

Bom Colesterol X Mau Colesterol

Existem dois tipos diferentes de colesterol: as lipoproteínas de alta densidade (HDL) e as lipoproteínas de baixa densidade (LDL). O colesterol LDL, conhecido como ruim, se deposita na parede dos vasos sanguíneos. Quando isso acontece, a circulação do sangue se torna difícil, ocasionando vários problemas de saúde, como o infarto. Já o colesterol HDL conduz o excesso de gordura do sangue para o fígado, onde ele é sintetizado. Essa função é importante, pois desentope as artérias.

Sintomas do Colesterol Alto

Um dos grandes problemas do colesterol alto é que ele não apresenta sintomas. Em muitos casos, a pessoa só descobre que está com o problema quando sofre com alguma doença cardíaca. Quem tem casos de infarto na família, é sedentário, obeso ou tem aterosclerose deve estar sempre atento e fazer exames de sangue periódicos para verificar os níveis de colesterol no sangue.

Tratamento

Quando o colesterol alto é diagnosticado, um médico pode prescrever medicação ou apenas seguir uma dieta com redução de gorduras. Um dos pontos mais importantes do tratamento é a mudança de hábitos, incluindo, além de uma alimentação saudável, atividade física. O consumo de alimentos ricos em fibras, como as frutas, verduras e cereais também é ótimo para quem tem o colesterol alto. Com uma vida mais natural, é possível controlar os níveis de gordura e prevenir as doenças do coração.
Fonte: Receita Natural

1.9.13

Filhos de mães com problemas na tireoide sofrem maior risco de autismo

28 de agosto de 2013 (Bibliomed). Gestantes que não conseguem produzir a quantidade correta do hormônio da tireoide são quatro vezes mais propensas a gerarem filhos autistas quando comparadas a grávidas com funcionamento normal da glândula.
A associação entre problemas de tireoide da mãe e autismo nos filhos foi descoberta por pesquisadores doNantz National Alzheimer Center, que analisaram mais de 4.000 mães e seus filhos na Holanda.
Estudos anteriores já haviam demonstrado que os hormônios tireoidianos são cruciais para o desenvolvimento cerebral do embrião. Um dos autores do estudo holandês, o Dr. Gustavo Román, diz que está cada vez mais evidente que o autismo está mais relacionado a fatores ambientais do que à genética.
Os pesquisadores descobriram, ainda, que quanto maior a deficiência no hormônio tireoidiano T4, mais grave era o autismo. A causa mais comum de deficiência de hormônio da tireoide é a falta de iodo na dieta. Dr. Roman aconselha às mulheres que desejam ter filhos uma maior atenção a problemas na tireoide e à alimentação.
Fonte: Diário da Saúde, 26 de agosto de 2013