Música Celtica

Exercícios Terapêuticos

Exercícios Terapêuticos
O universo está em constante movimento. O movimento significa vida. O movimento de uma espiral de energia vitaliza a célula única que marca o início de nosso tipo de vida humana. À medida que esse tipo de vida evolui, nós nos constituímos em um ser que constantemente troca energia com o cosmo. À medida que esta energia passa através de nós, ela nos alimenta, nos nutri e cria o movimento interno e externo de nossas vidas. Na expressão natural deste intercâmbio encontramos nossa saúde. O intercâmbio de energia é aumentado pelo movimento, e o movimento perfeito do corpo é uma extensão do interior para o exterior enquanto recebe estímulos que movem do exterior para o interior. (Greg Broòshy)

Translate

1.1.12

ALIMENTOS ORGÂNICOS CHEGARAM PARA FICAR!















Se perguntassem a você qual tipo de alimento preferiria ingerir, com agrotóxico ou sem agrotóxico, você teria a resposta na ponta da língua? Pois o alimento sem agrotóxico (sem veneno, no linguajar popular) tem sido cada vez mais produzido, vendido e comentado em todos os cantos de nosso país. Até porque ninguém mais duvida dos benefícios que usufruímos quando ingerimos alimento in natura.

Para ser considerado orgânico, o produto tem que ser produzido em um ambiente de produção orgânica, onde se utiliza como base do processo produtivo o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais, respeitando as relações sociais e culturais.

Na agricultura orgânica não é permitido o uso de substâncias que coloquem em risco a saúde humana e o meio ambiente.
Não são utilizados fertilizantes sintéticos solúveis, agrotóxicos e transgênicos.
O Brasil, em função de possuir diferentes tipos de solo e clima, uma biodiversidade incrível aliada a uma grande diversidade cultural, é sem dúvida um dos países com maior potencial para o crescimento da produção orgânica.

PRODUTOS ORGÂNICOS E MEIO AMBIENTE

Uma das características fundamentais da produção orgânica é a preocupação com o meio ambiente. Os sistemas orgânicos de produção priorizam o uso responsável dos recursos naturais, contribuindo para o desenvolvimento sustentável. A agricultura orgânica busca diversificar e integrar a produção de espécies vegetais e animais com o objetivo de criar ecossistemas mais equilibrados.

CONSUMO RESPONSÁVEL

Ao consumir produtos orgânicos, você contribui para o fortalecimento dessa grande rede de pessoas e instituições que trabalham em prol de uma melhor qualidade de vida para as gerações atuais e futuras. O consumidor responsável deve considerar e valorizar, no ato da compra, os produtos da estação, os regionais, aqueles que fortalecem os produtores locais e os que têm processo de produção e embalagens que agridem menos o meio ambiente.

SAÚDE

Os produtos orgânicos reduz os riscos à saúde dos trabalhadores rurais uma vez que na produção orgânica eles não estão expostos ao contato com insumos tóxicos; reduz os riscos de contaminação por possíveis resíduos de agrotóxicos presentes nos alimentos e possibilita a melhoria da sua alimentação e de sua família uma vez que os alimentos orgânicos possuem maior riqueza nutricional;

EDUCAÇÃO

O consumo de produtos orgânicos permite o crescimento da consciência sobre a responsabilidade de cada um, como consumidor, com a sustentabilidade ambiental, ao privilegiar em suas compras produtos que eles próprios e seus processos de produção contribuam para a qualidade de vida no planeta e tal cultura ensina as crianças a aprenderem desde cedo a importância do trabalhador rural na produção de alimentos de qualidade sem descuidar da preocupação com o meio ambiente e com o uso racional dos recursos naturais de forma que possam permitir que elas, seus filhos e netos, também tenham no futuro uma boa qualidade de vida.

Para termos uma ideia de como andam o nível de agrotóxicos em nossos alimentos, bom saber que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) constatou que os produtores rurais têm usado agrotóxicos não autorizados no plantio de determinados alimentos, e em 2010 a Vigilância Sanitária avaliou 2.488 amostras de alimentos, sendo que 28% apresentaram resultado insatisfatório para a presença de resíduos dos produtos. Deste total, 605 (24,3%) amostras estavam contaminadas com agrotóxicos não autorizados.

Em 42 amostras (1,7%), o nível de agrotóxico estava acima do permitido. Em 37% dos lotes avaliados, não foram detectados resíduos de agrotóxicos.

O pimentão lidera a lista dos alimentos com grande número de amostras contaminadas por agrotóxico. Em quase 92% das amostras foram identificados problemas. Em seguida, aparecem o morango e o pepino, com 63% e 57% das amostras com avaliação ruim. Em uma amostra de pimentão foram encontrados sete tipos diferentes de agrotóxicos irregulares. A batata foi o único alimento sem nenhum caso de contaminação nas 145 amostras analisadas.

A agência reguladora constatou também que, das 684 amostras consideradas insatisfatórias, 208 (30%) tinham resíduos de produtos que estão sendo revistos pela Vigilância Sanitária ou serão banidos do país, como é o caso do endossulfan e do metamidófos, que serão proibidos no Brasil nos próximos dois anos.

Em 2010, foram avaliados resíduos de agrotóxicos em 18 tipos de alimentos em 25 estados e no Distrito Federal. São Paulo não participou do programa.

A lista com os dez alimentos com mais amostras contaminadas com resíduos de agrotóxicos é a seguinte:

1) pimentão
2) morango
3) pepino
4) cenoura
5) alface
6) abacaxi
7) beterraba
8) couve
9) mamão
10) tomate

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/tecnologias-verdes/anvisa-lista-alimentos-com-mais-agrotoxicos-08122011-2.shl, prefiraorganicos.com.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário