Música Celtica

Exercícios Terapêuticos

Exercícios Terapêuticos
O universo está em constante movimento. O movimento significa vida. O movimento de uma espiral de energia vitaliza a célula única que marca o início de nosso tipo de vida humana. À medida que esse tipo de vida evolui, nós nos constituímos em um ser que constantemente troca energia com o cosmo. À medida que esta energia passa através de nós, ela nos alimenta, nos nutri e cria o movimento interno e externo de nossas vidas. Na expressão natural deste intercâmbio encontramos nossa saúde. O intercâmbio de energia é aumentado pelo movimento, e o movimento perfeito do corpo é uma extensão do interior para o exterior enquanto recebe estímulos que movem do exterior para o interior. (Greg Broòshy)

Translate

30.11.10

PREVININDO INFECÇÕES ASSOCIADAS AOS CUIDADOS DA SAÚDE (IACS)













Nós elaboramos uma lista de medidas preventivas que você, seus filhos, seus pais e familiares podem tomar antes, durante e depois da sua estadia no hospital para minimizar a exposição às Infecções associadas aos cuidados da saúde (IACS) e bactérias relacionadas, como SARM.


Handwashing helps prevent Healthcare-associated infections (HAI) Limpeza e higiene pessoal: :

Lave suas mãos. Esfregue por pelo menos 15 segundos com água morna e sabão. Use álcool-gel se você não tiver acesso a água e sabão.
De três a cinco dias antes de sua cirurgia, tome banhos diários com sabão contendo 4% de clorexidina, disponível em farmácias.
Quando já estiver no hospital: peça para a pessoa que te atender lavar as mãos antes de tocar em você – na sua presença. Exija isso tanto de médicos e enfermeiras que forem examiná-los quanto de visitantes que abracem, toquem ou ajudem você a se vestir, etc. Não tenha vergonha! Sua vida vale um segundo de constrangimento.
Certifique-se que a equipe médica esfregue a área da cirurgia antes do procedimento, pois bisturis e outros instrumentos cirúrgicos arrastam as bactérias da pele para a incisão.


Equipamentos:

Uma fonte comum de contaminação cruzada por bactérias são estetoscópios, que normalmente não são limpos após usados em cada paciente, então peça que sejam limpos – assim como qualquer outro equipamento médico – na sua presença.
Certifique-se de que as equipes hospitalares limpem e desinfetem todas as superfícies que você deve tocar, como grades de cama, cortinas e pias. Evite colocar comida ou utensílios nos móveis ou na cama.
Certifique-se que o cateter esteja adequadamente limpo quando inserido e removido e de que outro, novo e limpo, seja inserido a cada 3 ou 4 dias. Se alguma irritação aparecer na área em que for inserido, comunique a enfermagem imediatamente.
Monitore ataduras e drenos e avise prontamente a enfermagem se eles estiverem soltos ou molhados.
Evite o uso de cateteres urinários o máximo possível. Caso você precise de um, peça que seja removido de um a dois dias – o quanto antes melhor.


Exames:

Faça um exame para verificar a presença de Staphylococcus aureus resistente à meticilina (SARM) pelo menos uma semana antes de ser internado. Você pode já ter SARM e não saber! É importante saber disso o quanto antes.
Tenha a quantidade de açúcar sob controle se você tiver diabetes.


Medicação:

Pergunte a seu medico sobre a administração de antibióticos antes da cirurgia. Para algumas cirurgias, você pode receber uma dosagem antes da cirurgia para prevenir uma Infecção do Sítio Cirúrgico (ISC).


Estética e Conforto:

Se você precisa de depilação, use depiladores elétricos no dia da cirurgia em vez de lâminas, pois, com essas últimas, são maiores as chances de cortes na pele, o que aumenta a exposição às bactérias que causam infecção.
Peça a seu médico que lhe mantenha aquecido durante a cirurgia. Obviamente, você não irá sentir frio quando anestesiado, mas estudos provaram que procedimentos simples como manter os pacientes aquecidos diminui as chances de infecção.
Peça a quem estiver tossindo que use máscara ou que fique pelo menos dois metros longe de você, a fim de que você não pegue uma infecção transmitida pelo ar.
Embora visitas possam animar você, se familiares e amigos não estiverem se sentindo bem, peça a eles que esperem para visitá-lo quando estiverem melhor. Converse com eles por telefone enquanto se recupera.






Fonte: Kimberly Clark - Health Care - IACS
http://prevencaodeinfeccoes.com

26.11.10

"ÁGUA" EM ALGUNS LUGARES ELA JÁ NÃO EXISTE MAIS








































World Water Crisis book Blue Planet Run safe drinking water to the one billion people who lack it
Deli, Índia. Todos querem, apenas, um pouco de água...

World Water Crisis book Blue Planet Run safe drinking water to the one billion people who lack it
Dois Sudaneses bebem água dos pântanos, com tubos plásticos, especialmente concebidos para este fim,
com filtro para filtrar as larvas flutuantes, responsáveis pela enfermidade da lombriga da Guiné.
O programa distribuiu milhões de tubos e já conseguiu reduzir em 70% esta enfermidade debilitante.
World Water Crisis book Blue Planet Run safe drinking water to the one billion people who lack it
Os glaciares que abastecem a Europa de água potável perderam mais da metade do seu volume,
no século passado. Na foto, trabalhadores da estação de esqui do glaciar de Pitztal, na Áustria, cobrem o glaciar
com uma manta especial para proteger a neve e retardar o seu derretimento, durante os meses de Verão...
World Water Crisis book Blue Planet Run safe drinking water to the one billion people who lack it
As águas do delta do rio Níger são usadas para defecar, tomar banho, pescar e despejar o lixo.
World Water Crisis book Blue Planet Run safe drinking water to the one billion people who lack it
Água suja em torneiras residenciais, devido ao avanço
indiscriminado do desenvolvimento.
World Water Crisis book Blue Planet Run safe drinking water to the one billion people who lack it
Aldeões na ilha de Coronilla, Quénia, cavam poços profundos em busca
do precioso líquido, a apenas 300 metros do mar. A água é salobra.

World Water Crisis book Blue Planet Run safe drinking water to the one billion people who lack it
Aquele que foi o quarto maior lago do mundo, agora é um cemitério poeirento
de embarcações que nunca mais zarparão...

VALORIZE A ÁGUA!
EM ALGUNS LUGARES, ELA NÃO EXISTE MAIS...



ISTO, SIM, TEM QUE CHEGAR AO CONHECIMENTO DE TODOS.

AVISA CONSTATA ALTO TEOR DE SÓDIO EM ALIMENTOS

(23.11.10)

Algumas marcas de batata industrializada apresentaram até 14 vezes mais sódio do que o recomendável. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) constatou teores elevados de sódio em vários alimentos industrializados encontrados nas prateleiras dos supermercados. Dos mais de 20 tipos de produtos analisados, o macarrão instantâneo apresentou a maior quantidade de sódio.

De acordo com o levantamento, algumas marcas têm mais que o dobro de sódio do que o limite recomendável para consumo diário. A ingestão do elemento químico em altas concentrações contribui para o surgimento de doenças cardíacas e renais, obesidade, hipertensão e diabetes.

A pesquisa revela que os refrigerantes de baixa caloria (light e diet) à base de cola e guaraná têm maior concentração de sódio em comparação com os convencionais.

O estudo constatou ainda diferenças na quantidade de sódio de uma marca para outra. No caso da batata-palha, algumas marcas apresentaram até 14 vezes mais sódio do que o recomendável. Para a diretora da Anvisa, Maria Cecília Brito, a variação mostra que as empresas podem produzir alimentos com menos sódio e recomenda ao consumidor que observe o rótulo das embalagens.

"A população deve saber que existem alimentos semelhantes, porém menos saudáveis. A Vigilância Sanitária não pode dizer que recomenda este ou aquele produto. Seria insano lançarmos uma proibição desses alimentos neste momento, porque é preciso desenvolvimento técnico das empresas para adptar a produção", disse a diretora.

O estudo avaliou também a quantidade de açúcar, ferro e gorduras trans e saturadas nos alimentos. Os sucos de polpa de fruta apresentaram menos açúcar que os néctares (bebidas com menor concentração de polpa). No caso dos néctares, o de uva foi o que apresentou o maior nível de açúcar.

Na avaliação da gordura saturada, 55% das marcas de batata-palha ultrapassaram o valor médio. Os biscoitos de polvilho lideram o índice de gorduras saturadas e trans.

Os resultados apontaram ainda que 87% das farinhas, dos fubás e dos flocos de milho têm menos ferro e ácido fólico que o exigido em lei.

Ainda este mês, representantes do Ministério da Saúde, da Anvisa e da indústria alimentícia devem se reunir para traçar metas de redução desses nutrientes nos produtos industrializados.

Av. Praia de Belas, 2266, 8º andar - Cep: 90110-000 - Porto Alegre - RS - Brasil

Desenvolvido por Desize.

25.11.10

LA MEDICINA NATURAL AL ALCANCE DE TODOS










(Dr.Manuel Lazaeta Acharán)

La Medicina Natural Al Alcance de Todos. Manuel Lazaeta Acharán Ed. KIER Bs. Aires. Este libro, que en 1989, iba por la décimo séptima edición, conoció la luz en la década de 1930, en Chile; el autor, médico y abogado desarrolla una teoría innovadora sobre la concepción de la salud, enfermedades y su recuperación en caso de pérdida de la misma, solo apelando a terapias o tratamientos naturales. Este autor, sufrió en carne propia una enfermedad venérea y estando en su última etapa, no le quedaba otra alternativa que esperar la muerte con resignación, según el mismo relata en su libro. En el se desarrolla una teoría completamente distinta y contrapuesta a la medicina clásica o alópata, conceptos que causaron su comparecencia a tribunales acusado de ejercicio ilegal de la profesión, según denuncia de la Soc. Médica de Chile (1932). Lazaeta salió triunfante de este juicio con un fallo favorable sentando jurisprudencia en la historia médica de Chile. Sin publicidad, este libro mantiene sus reediciones, tras años de la muerte de su autor y los avances técnicos en medicina; el fundamento de la teoría expuesta por Lazaeta, es su definición de la Salud, como un estado natural del hombre, la cual perdemos en el ejercicio de hábitos antinaturales al ingerir alimentos indebidos; también reconoce la perdida de este estado (salud), por accidentes mecánicos o de otra índole, que escaparían a estos postulados, sin invalidarlos. Estamos en presencia de un gran libro de consulta, que según pasa el tiempo, cobra más y más vigencia; hoy vemos con asombro el aumento y proliferación mundial de enfermedades que hace 40 ó 50 años eran casi desconocidas y que hoy adquieren la característica de pandemias, me refiero al aumento de Obesidad y Diabetes, por ejemplo, pero los países a través de sus sistemas de salud planifican estrategias para atacar consecuencias en vez de causas. El sentido común nos indica que estas enfermedades están relacionadas con malos hábitos modernos de nutrición, al acostumbrarnos al consumo de alimentos envasados que aguardan durante meses su consumo, gracias a conservantes y métodos artificiales de envasado. Todo esto fue visualizado por Lazaeta hace más de 80 años; claro, la práctica de su sistema de salud está lejos de recetarios, laboratorios y formulaciones químicas, por ende se trató de desprestigiarlo siendo condenado al silencio, no obstante su mejores defensores, que entre otras cosas ayudaron a que ganara el juicio antes mencionado, son sus propios pacientes a los cuales la medicina clásica no ofreció soluciones, entre los cuales se contaba el mismo autor. Lontue La Medicina Natural Al Alcance de Todos. Manuel Lazaeta Acharán Ed. KIER Bs. Aires. Este libro, que en 1989, iba por la décimo séptima edición, conoció la luz en la década de 1930, en Chile; el autor, médico y abogado desarrolla una teoría innovadora sobre la concepción de la salud, enfermedades y su recuperación en caso de pérdida de la misma, solo apelando a terapias o tratamientos naturales. Este autor, sufrió en carne propia una enfermedad venérea y estando en su última etapa, no le quedaba otra alternativa que esperar la muerte con resignación, según el mismo relata en su libro. En el se desarrolla una teoría completamente distinta y contrapuesta a la medicina clásica o alópata, conceptos que causaron su comparecencia a tribunales acusado de ejercicio ilegal de la profesión, según denuncia de la Soc. Médica de Chile (1932). Lazaeta salió triunfante de este juicio con un fallo favorable sentando jurisprudencia en la historia médica de Chile. Sin publicidad, este libro mantiene sus reediciones, tras años de la muerte de su autor y los avances técnicos en medicina; el fundamento de la teoría expuesta por Lazaeta, es su definición de la Salud, como un estado natural del hombre, la cual perdemos en el ejercicio de hábitos antinaturales al ingerir alimentos indebidos; también reconoce la perdida de este estado (salud), por accidentes mecánicos o de otra índole, que escaparían a estos postulados, sin invalidarlos. Estamos en presencia de un gran libro de consulta, que según pasa el tiempo, cobra más y más vigencia; hoy vemos con asombro el aumento y proliferación mundial de enfermedades que hace 40 ó 50 años eran casi desconocidas y que hoy adquieren la característica de pandemias, me refiero al aumento de Obesidad y Diabetes, por ejemplo, pero los países a través de sus sistemas de salud planifican estrategias para atacar consecuencias en vez de causas. El sentido común nos indica que estas enfermedades están relacionadas con malos hábitos modernos de nutrición, al acostumbrarnos al consumo de alimentos envasados que aguardan durante meses su consumo, gracias a conservantes y métodos artificiales de envasado. Todo esto fue visualizado por Lazaeta hace más de 80 años; claro, la práctica de su sistema de salud está lejos de recetarios, laboratorios y formulaciones químicas, por ende se trató de desprestigiarlo siendo condenado al silencio, no obstante su mejores defensores, que entre otras cosas ayudaron a que ganara el juicio antes mencionado, son sus propios pacientes a los cuales la medicina clásica no ofreció soluciones, entre los cuales se contaba el mismo autor.



Lontue

12.11.10

CRIE TEMPO PARA VOCÊ COMBATER O ESTRESSE.







O estresse é um dos maiores obstáculos à felicidade, e muitos estudos comprovam que o estresse prolongado tem efeitos nocivos sobre a imunidade, o sistema nervoso e o equilíbrio hormonal. Ele tem uma influência adversa em outras formas de comportamento relacionadas à saúde, como exercício, alimentação, fumo e bebida, e pode promover depressão, perda de memória e doenças como diabetes melito e doença cardíaca.

Um grande estudo no Reino Unido que acompanhou a saúde de servidores públicos desde 1960 relatou, em 2008, que altos níveis de estresse sempre causam danos ao coração. A pesquisa - parte do estudo Whitehall II observou mais de 10.300 servidores públicos e encontrou um risco de doença cardíaca 68% maior nos que apresentavam estresse crônico.

O Dr. Tarani Chandola, autor do estudo, diz: " O corpo é projetado para lidar com situações estressantes, mas o importante é que ele retorne aos níveis normais o mais rápido possível por causa dos danos que os hormônios do estresse podem causar em um longo período."

Então, reserve tempo só para você pelo menos uma vez por semana. Não importa o que fizer - correr, meditar, uma aula de yoga, de arte, shiatsu - contando que faça você esquecer dos problemas.








Fonte: Guia de saúde e Longevidade

2.11.10

KPC - KLEBSIELLA PNEUMONIAE CARBAPENEMASE

Respondemos 13 dúvidas sobre a superbactéria KPC
Infecção pode matar e tem se alastrado, fique atento e saiba como se prevenir

Por Ana Maria Madeira

Desde o ano passado, a superbactéria KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase) começou a assustar os pacientes e médicos. De acordo com dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), 24 pessoas infectadas pela superbactéria morreram no Estado de São Paulo desde julho de 2009 - mesmo não se sabendo se todos os casos de morte foram causados pela bactéria. Nesse mesmo período, 70 casos de contaminação foram confirmados.

No Brasil, até o momento, já são 43 mortes associadas à KPC. No Distrito Federal, o número de contaminações é ainda maior - 183 casos, das quais 18 morreram. A KPC já apareceu em vários estados: São Paulo, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás e Santa Catarina.

A Anvisa prevê multa de R$ 1,5 milhão para farmácias que venderem antibióticos (remédios que atuam principalmente contra bactérias e fungos) sem reter a receita médica. Atualmente, a regra estabelece que o paciente apresente a receita médica, mas ele pode ficar com ela. Isso tudo é para conter o uso indiscriminado desse tipo de medicamento - apontado pelo Ministério da Saúde como um dos fatores do surgimento de organismos resistentes, como a KPC.

Outra resolução da agência obriga clínicas e hospitais a disponibilizarem álcool líquido ou em gel para médicos e enfermeiros limparem as mãos. Mas o que fazer para prevenir-se contra a doença? Quais são os riscos? Confira abaixo 13 dúvidas esclarecidas pela infectologista Ana Cristina Gales, da Unifesp.

1 - O que é a bactéria KPC?

KPC não é o nome da bactéria, mas de uma enzima produzida por ela, que é capaz de inativar os antibióticos mais potentes disponíveis para o tratamento de infecções graves, principalmente aquelas adquiridas no ambiente hospitalar.

2 - Ela é chamada de superbactéria? Por quê?


As superbactérias só são assim denominadas quando produzem uma enzima tão potente capaz de inativar a eficácia de outros antibióticos, limitando, assim, as possíveis opções para o tratamento de infecções graves.

3 - A KPC é uma mutação?

Não se trata de uma mutação. "Ninguém sabe ao certo como a primeira dessas bactérias surgiu, mas acredita-se que o uso dos antibióticos do tipo carbapenens, de uso comum, favoreceu sua aparição, mas ninguém sabe a origem do gene, nem como isto ocorreu exatamente", diz a especialista.

4 - Qual a velocidade de reprodução dessa bactéria?

As bactérias como as KPC, geralmente se multiplicam muito rápido, duplicando de número a cada 20 minutos.

5 - Qualquer pessoa pode ser infectada pela KPC? Há grupo de risco?

As pessoas que estão hospitalizadas, ou em contato com ambiente hospitalar têm maiores riscos. "Porém, pacientes hospitalizados em UTI's com doenças debilitantes como câncer ou com transplante, e que receberam antibióticos apresentam maior risco de ser contaminado com a bactéria", diz Ana.

6 - Como ocorre a transmissão entre as pessoas?

A transmissão ocorre por meio do contato direto, como tocar a outra pessoa, ou por contato indireto, por meio do uso de um objeto comum, por exemplo. Assim, é bom evitar tocar superfícies de hospitais, como camas, portas e paredes. Para evitar a maior proliferação, não tome antibióticos por conta própria e siga as orientações médicas. Caso precise entrar em contato com pacientes, lave bem as mãos antes e depois.

7 - A KPC está espalhada nas ruas ou em qualquer ambiente?

Até o momento, as bactérias produtoras de KPC foram observadas somente em pacientes hospitalizados ou que estiveram no ambiente hospitalar. "No ambiente, provavelmente esta bactéria teria menos chance de sobreviver quando "competisse" com outras, pois não criou ainda resistência", explica a médica.

8 - Quais são os maiores riscos?

O maior risco reside na não detecção da superbactéria, o que pode ocorrer com frequência por ser um organismo ainda desconhecido, causando eventual tratamento inadequado do paciente, o que aumenta as chances de morte do paciente.

9 - Como é feito o diagnóstico?

Existem testes especiais feitos caso o paciente apresente sinais e sintomas de infecção urinária, por exemplo. O médico irá solicitar exames urina e o antibiograma, que é o teste realizado para confirmar se a bactéria é sensível ou resistente a determinado antibiótico. "Por outro lado, se quero saber se um paciente está contaminado com a bactéria porque está ao lado de um paciente infectado por esta bactéria ou colonizado (que tem a bactéria no organismo, mas não apresenta infecção), solicitamos a realização de outro exame, o swab retal (introdução de um "cotonete"), para que seja avaliado se há o crescimento desta bactéria", afirma a especialista.

10 - Quais procedimentos devem ser adotados se houver o diagnóstico positivo?

Independentemente de o paciente estar infectado ou colonizado no ambiente hospitalar, ele será isolado em um quarto, as visitas serão restringidas, os profissionais da área saúde que o atenderem usarão medidas de barreira como avental e luvas que deverão ser desprezados antes de saírem do quarto do paciente. Se possível, estes profissionais não deverão prestar atendimento a pacientes não infectados ou colonizados, para não contaminá-los também.

11 - Como é o tratamento?

A maioria das amostras de KPC encontradas até agora são sensíveis aos antibióticos como aminoglicosídeos, polimixinas e tigeciclinas. "Porém, existe o risco de a bactéria desenvolver resistência a estas drogas, ou de o gene ser adquirido por uma espécie bacteriana que é naturalmente resistente à tigeciclina ou às polimixinas", diz Ana.

12 - Os hospitais devem fazer exames específicos nas pessoas em geral?

Não, uma vez que não existem casos de infecção fora dos quadros de risco descritos no país.

13 - Como posso me prevenir?

A lavagem das mãos, com sabão ou álcool gel, é a medida mais simples, mais barata e mais eficaz no controle da disseminação de das bactérias. Além disso, os profissionais de saúde devem manter todo o protocolo de medidas preventivas.