Música Celtica

Exercícios Terapêuticos

Exercícios Terapêuticos
O universo está em constante movimento. O movimento significa vida. O movimento de uma espiral de energia vitaliza a célula única que marca o início de nosso tipo de vida humana. À medida que esse tipo de vida evolui, nós nos constituímos em um ser que constantemente troca energia com o cosmo. À medida que esta energia passa através de nós, ela nos alimenta, nos nutri e cria o movimento interno e externo de nossas vidas. Na expressão natural deste intercâmbio encontramos nossa saúde. O intercâmbio de energia é aumentado pelo movimento, e o movimento perfeito do corpo é uma extensão do interior para o exterior enquanto recebe estímulos que movem do exterior para o interior. (Greg Broòshy)

Translate

29.3.10

DINAFLEX

Laboratório





Zodiac

Apresentação de Dinaflex
Pó Granulado: 1,5 g. emb. c/ 15 sachês de dose única. Cada sachê c/
1,5 g contém: Sulfato de glicosamina (equivalente a 1,884 g de sulfato
policristalino de glicosamina) 1,5 g

Dinaflex - Informações
Mecanismo de Ação O sulfato de glicosamina é uma molécula naturalmente
presente no organismo humano e utilizada para a biossíntese dos
proteoglicanos da substância fundamental da cartilagem articular e do
ácido hialurônico do líquido sinovial. Esta biossíntese é alterada na
artrose, processo degenerativo dismetabólico que compromete a
cartilagem articular. Normalmente a chegada da glicosamina na
articulação está assegurada por processo de biotransformação da
glicose. Na artrose tem sido observada ausência local de glicosamina
devido a uma diminuição da permeabilidade da cápsula articular e por
alterações enzimáticas nas células da membrana sinovial e da
cartilagem. Nestas situações propõe-se a entrada exógena de sulfato de
glicosamina, como suplemento das carências endógenas desta substância,
estimulação da biossíntese dos proteoglicanos, desenvolvimento de uma
ação trófica nos sulcos articulares e favorecimento da fixação de
enxofre na síntese do ácido condrointinsulfúrico e a disposição normal
de cálcio no tecido ósseo. A experiência clínica também confirma a
ótima tolerância de glicosamina devido a sua origem natural.

Dinaflex - Indicações
É indicado no tratamento de artrose primária e secundária,
osteocondrose, espondilose, condromalacia de rótula, periartrite
escápulo-humeral.

Contra-indicações de Dinaflex
Dinaflex é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade a
glicosamina ou a qualquer outro componente da fórmula. Também não deve
ser utilizado durante a gravidez, lactação ou em casos de
fenilcetonúria.

Reações adversas de Dinaflex
Os efeitos colaterais mais comuns são de origem gastrintestinal, de
intensidade leve a moderada, consistindo em desconforto gástrico,
diarréia, náusea, prurido e cefaléia. Reações hematológicas: não foram
observadas alterações clínicas significativas durante os estudos.
Testes laboratoriais: não se observaram diferenças significativas nos
valores médios nem nos dados individuais das provas laboratoriais e
constantes vitais.

Dinaflex - Posologia
Pó Granulado 1,5 g 1 sachê por dia, dissolvido em um copo com água.
Duração do tratamento: a critério médico.
Bula anterior: Dimorf lc 60mg-6bl x 10caps. Próxima bula: Dinaton




Corpo Editorial
Coordenador Científico
Prof. Dr. Milton de Arruda Martins
- Professor Titular de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP
Só deverá ser usado, sob orientação médica.



SUNDARI DEVI.

>
>
>

20.3.10

OS GRANDES VILÕES DA SAÚDE

1.Refrigerantes

Imagine um copo recheado de seis ou sete colheres de sopa de açúcar.
Teria coragem de bebê-lo? Se você tem o hábito de consumir
refrigerantes é exatamente isso que o seu corpo está recebendo. Além
de pobre em nutrientes, essa enorme quantidade de glicose prejudica a
absorção de compostos essenciais como magnésio, zinco e cromo e ainda
enfraquece o sistema imunológico, diminuindo, dentre outras coisas,
sua capacidade de combater o stress. Para piorar, os refrigerantes são
compostos de aditivos químicos que intoxicam o organismo.

2.Carne Processada

Grandes inimigos da saúde cardiovascular, os chamados embutidos
possuem uma enorme quantidade de gordura saturada, sal, conservantes e
corantes. Além disso, quando absorvidos, produzem substâncias
cancerígenas chamadas nitrosaminas.

3.Pães e massas de farinha branca

Se, por um lado, elevam rapidamente o nível de glicose, por outro,
induzem a hipoglicemia após um curto intervalo. Para piorar, são
pobres em fibras e nutrientes. Faça uma escolha inteligente e consuma
alimentos integrais.

4.Alimentos com pesticidas

Os resíduos dos agrotóxicos se acumulam no organismo durante toda
vida. As conseqüências a longo prazo ainda não são muito conhecidas,
porém estudos revelam danos ao sistema reprodutivo. Por isso,
alimentos orgânicos são os mais recomendados.

5.Pratos ricos em gorduras ruins(saturadas e trans)

Além de aumentar o nível de colesterol ruim no corpo (LDL), esse tipo
de alimento também diminui a concentração do bom, chamado de HDL. O
resultado são artérias entupidas e maior possibilidade de enfartes e
derrames.

6.Comida Fast-food

Geralmente seus combinados são ricos em todos os tipos de gordura,
inclusive a trans. As conseqüências são as mesmas vistas acima.

7.Açúcar

No processo de transformação da cana em açúcar, todos os nutrientes da
planta são perdidos. Assim, o produto que consumimos diariamente é
rapidamente digerido, elevando o nível de glicose e o acumulo de
gordura nas células.

8.Chocolate

O grande problema do chocolate é sua enorme quantidade de açúcar e
gorduras saturadas. Se você não consegue viver sem um pedacinho, as
opções com no mínimo 60% de cacau são as melhores, pois ele é um
agente antioxidante.

9.Sal

A dose diária recomendada de sal é de 6g, o consumo acima dessa
quantidade pode gerar hipertensão e retenção hídrica. O brasileiro
ingere em média 12g ao dia.

--
Priscilla de Souza
Nutricionista

18.3.10

INFARTOS EM MULHERES

PAREM DE FUMAR!










Mulheres morrem mais de infartos do que os homens, indica pesquisa

17 de março de 2010 (Bibliomed). Apesar de a taxa de ataques cardíacos ser maior entre os homens, as mulheres são mais propensas a morrer quando ocorre este evento cardiovascular, segundo estudo francês apresentado esta semana no encontro científico do American College of Cardiology. De acordo com os autores, os resultados indicam a necessidade de uma maior atenção às mulheres que sofrem infarto, visto que sua taxa de morte é maior porque seu tratamento não é tão agressivo quanto o de homens infartados.

Em estudo com mais de 3,5 mil pessoas internadas por causa de um infarto, os pesquisadores notaram que o uso de angiografia para visualizar artérias obstruídas ou de angioplastia para desobstruir essas artérias é bem menor entre as mulheres. E, como resultado desse "padrão", as mulheres teriam taxas de morte um mês após o infarto duas vezes maior em relação aos homens.

"A alta taxa de morte entre as mulheres está relacionada ao fato de não ter o mesmo tratamento do homem", ressaltou a especialista Maria Rosa Costanzo, da Associação Americana do Coração, que não participou da pesquisa. "Se as mulheres tivessem o mesmo acesso aos procedimentos e medicações que os homens, elas teriam os mesmos benefícios", acrescentou.

De acordo com a especialista, há algum tempo, é sabido que as mulheres têm piores resultados com um ataque cardíaco, porém as razões ainda estariam obscuras. Alguns estudos indicam que isso seria resultado de diferenças biológicas, como o fato de a mulher ter vasos sanguíneos menores, aumentando os riscos de complicações; e outros apontam que isso se dá porque a mulher infartada tende a ser bem mais velha e a ter pior saúde que os homens que sofrem infartos, e, ainda, pela diferença no tratamento.

O novo estudo mostrou que, em parte, tudo isso faz sentido. As mulheres, comparadas aos homens que participaram da pesquisa, eram, em média, nove anos mais velhas, tinham mais problemas de saúde e recebiam menos tratamentos eficazes para o ataque cardíaco. Porém, quando as análises foram ajustadas pela idade, pressão sanguínea, função renal, e outras características, assim como tratamento recebido, os pesquisadores notaram que não havia diferença nas taxas de morte. "Uma vez que você compara maçãs com maçãs, isso mostra que as mulheres têm os mesmos benefícios de procedimentos e medicações que os homens", concluiu a especialista.

Fonte: American College of Cardiology's 59th Annual Scientific Session. Press release.
16 de março de 2010 2010 Bibliomed, Inc.

6.3.10

APNÉIA











É quando ocorre uma parada repetida e temporária da respiração durante o sono, tal distúrbio normalmente é associado a roncos. Pode ocorrer com a freqüência de uma por minuto e só termina quando o cérebro percebe a queda na oxigenação e força, funciona quase como um despertador rápido, para que a pessoa volte a respirar.

Pode ser causada por obstrução nasal ou obesidade. Cerca de 15 milhões de brasileiros sofrem deste mal.

Alguns minutos ou segundos depois tudo se repete, os batimentos cardíacos se elevam a um nível absurdo. O apnéico sempre acorda cansado, mesmo quando pensa ter dormido a noite toda.

A Apnéia classifica em três tipos:

Apnéia Obstrutiva do Sono - ocorre quando o esforço respiratório é iniciado, mas, o ar não chega a atingir os pulmões devido à obstrução da via aérea.

Apnéia central - ocorre em resultado de uma disfunção do sistema nervoso central em gerar o devido estímulo para os músculos da caixa torácica, conseqüentemente não se iniciando o esforço respiratório.

Apnéia Mista - ocorre quando inicialmente não existe esforço inspiratório, mas, quando o esforço é iniciado a apnéia persiste em decorrência do colapso da via aérea.







Por Eliene Percília
Equipe Brasil Escola

4.3.10

FRUTAS E VERDURAS














Comer frutas e verduras aumenta as chances de sobreviver ao câncer de ovário

O que uma mulher come de três a cinco anos antes de ter um diagnóstico de câncer de ovário pode ter um impacto significativo nas suas chances de sobreviver à doença, segundo estudo publicado este mês no Journal of the American Dietetic Association. De acordo com especialistas da Universidade de Illinois, nos EUA, mulheres que ingerem mais frutas e verduras até cinco anos antes da descoberta da doença têm uma vantagem na recuperação, enquanto as amantes de carnes vermelhas apresentam pior sobrevida.



Os pesquisadores avaliaram questionários sobre a dieta de 341 mulheres diagnosticadas com câncer no epitélio ovariano. E descobriram que “os padrões alimentares de três a cinco anos antes de um diagnóstico de câncer epitelial ovariano tem o potencial de influenciar o tempo de sobrevivência”. E além de notar os benefícios do consumo de vegetais - aquelas que comiam mais frutas e hortaliças tinham 39% mais chances de ter maior sobrevida -, os especialistas destacam a importância do consumo de grãos saudáveis e da restrição às carnes vermelhas para a sobrevida das pacientes.









Fonte: Bibliomed.